Destaques

Cirurgia Oral

Uma das áreas mais abrangentes da Medicina Dentária é a Cirurgia Oral. Esta especialidade médica é responsável por todos os actos cirúrgicos relacionados com as extrações de dentes que apresentem impossibilidade de manutenção na cavidade oral, nomeadamente dentes com cáries muito extensas e não restauráveis, dentes sem suporte ósseo, dentes inclusos, entre outros.

Extrações

A necessidade de extrair um dente pode ser imposta por razões diversas, onde se contam a existência de cáries extensas, perda óssea severa provocada por infeção ou a necessidade de ganhar espaço na arcada dentária. Geralmente realizadas sob anestesia local, as extrações podem apresentar diferentes graus de complexidade.

Extrações Cirúrgicas de Dentes Inclusos

Designam-se por inclusos os dentes que não chegam a erupcionar. A não erupção de um dente pode ser motivada por várias razões, sendo uma das mais comuns a falta de espaço na arcada dentária. Se não forem removidos, a constante pressão causada pela tentativa de erupção pode causar diversos problemas como a destruição dos dentes vizinhos, inflamação, dor e apinhamento. Por serem os últimos a nascer, os sisos são os dentes que mais frequentemente permanecem inclusos. Contudo, existem também situações em que o organismo produz dentes extra, os supranumerários, que não têm espaço para erupcionar.

Tratamento de Infeções Faciais

Causadas por microrganismos como vírus, fungos ou bactérias, as infeções orofaciais podem afetar os tecidos da cavidade oral ou zonas mais específicas como os nervos ou as glândulas salivares. Se algumas infeções são de baixa intensidade, requerendo apenas terapia médica de suporte com a administração de antibióticos, infeções mais complexas exigem intervenção cirúrgica.

Remoção de Quistos e Tumores

A remoção de quistos ou tumores exige igualmente a intervenção da Cirurgia Oral. Na origem de alguns quistos pode estar um dente incluso não removido. Existem casos em que a infeção ou o quisto estão localizados na extremidade da raiz do dente (apex). Nessas situações, recomenda-se a desvitalização ou redesvitalização do dente. Se a infeção persistir, a remoção do quisto terá que ser efetuada cirurgicamente.

Facebook Estácio